segunda-feira, 31 de agosto de 2009

EU


Teve um tempo...
eu não existia...
um tempo da minha vida...
para aprendizado.
Era muito confuso...
eu não existia...
e também não percebia.
Só sabia que não era normal...
mas o que acontecia?
Estava fora de mim...
e ninguem sabia.
Tempo dificil...
muito dificil.
Sinto que ainda não...
percebo o que aconteceu...
e ás vezes acho que volta.
Hoje olho mais para mim...
com medo do tempo...
que eu não existia.
E todos os dias...
vivo na esperança...
de sentir EU.
[Autora:Rufina Lima Mesquita]

17 comentários:

Eliane Santoro da Costa disse...

Linda postagem!Profunda reflexão!
Esse tempo já passou,valeu como aprendizado.Agora que você possa sentir-se inteira,integrada,minha amiga que também é minha irmã de coração.

Um abraço com muito carinho!

AFRICA EM POESIA disse...

Alegra de viver


para ti...um beijinho

esse teu eu tem que perdurar o mundo é dos fortes...
um beijão

*Adriana* disse...

Muito profundo e revelador do seu Eu para nós que a admiramos. Adorei seu poema e adorei conhecê-la , mesmo que apenas virtualmente, querida amiga Rufina.
Beijos no coração
Adriana

CarlaSofia disse...

O regresso ao nosso eu, essa é a grande aventura da vida.
beijinhos luminosos*

PCR disse...

muito profundo...

ha fases da vida complicadas, mas com força de vontade tudo se supera!

beijinho

p.s. peço desculpa pela longa ausencia

walter disse...

Atravessamos toda a nossa vida em busca do nosso «EU» - a grande aventura da vida é isso mesmo! Estamos cá... em busca da perfeição, enquanto seres pensantes...

Beijo
Walter

Canduxa disse...

Querida Amiga,

Depois de duas semanas de ausência, que aproveitei para descansar e terminar com um maravilhoso retiro, é com alegria que aqui volto para ler a sua reflexão.
A procura do nosso EU, que é a nossa verdadeira essência, leva-nos sempre a ter períodos de desencontros connosco. Não é preciso ter medo do que já passou e se eles voltarem é sinal que há ainda que aprender.
A nossa vida é um viver constante de experiências...só assim evoluímos.
Um grande beijinho com muita luz

Princesa disse...

obrigada pela visita e pelo carinho

"Sê feliz
de alma e coração.
Não deixes
que as pequenas nuvens
turvem o céu da tua vida.
Sopra-os de mansinho,
para que o teu céu
seja sempre azul
de felicidade."

um beijinho

AFRICA EM POESIA disse...

Hoje
Dia diferente.
fui tomar posse da escola.. o novo ano aproxima-se...

um beijo e um café...

SENTO NO CAFÉ


Entro no café...
Sinto o seu aroma...
Saborei-o e sinto...
As plantações...
O bago...
A magia...
E continuo a saborear
E a sentir-me feliz...

LILI LARANJO

Nely disse...

Olá amiga.
Você existia, mas não percebia.
Hoje percebe que todos temos direito a existir dentro de nós mesmos, que ninguém pode nos "apagar". Fico feliz por esse tempo ter passado.
Beijinho amigo.

Agulheta disse...

Olá amiguinha. De volta a este espaço,leio uma boa reflexão sobre tudo.Agradeço a visita na ausência.
Beijinhos

Angel of Light disse...

Olá,

"Hoje olho mais para mim...
com medo do tempo...
que eu não existia."... é bom olharmos cada vez mais para nós. Aos outros pode parecer uma atitude de egoísmo, mas não é. Se não olharmos para e por nós, tudo o que nos rodeia estará condicionado a isso... somos um reflexo daquilo que gira à nossa volta. Somos todos UM!
O tempo, isso, é pura ilusão...

Gostei muito do teu blog.

Deixo-te beijinhos de Amor e Luz salpicados de Harmonia.

Princesa disse...

Obrigado pela visita

Existem pessoas que convivem anos
Conosco, e pouco representam.
Outras ao contrário, surgem em nosso caminho
de repente
E sem que se espere gravam seu nome
em nossa existencia. São os Amigos,

Passe nos meus outros blogs
Um bom fim de semana
Beijinhos

*Adriana* disse...

Minha querida amiga, por motivos pessoais, achei melhor optar por permitir apenas aos que conheço a visita ao meu blog, mas não tenho endereço , e-mail, de muitos, incluindo você. Poderia me informar para convidá-la? Por favor responda ´para meu e-mail, adriana-es09@hotmail.com

um ótimo domingo e feriado
Adriana

Maria José disse...

Rufina, como sempre, os seus textos são de alto conteúdo. Hoje passei aqui para lhe dizer que deixei um selinho de presente lá no meu blog. Beijos.

Pó de Estrela disse...

Olá Rufina

Gostei muito da tua poesia.
É sempre muito complicado encontrarmos o nosso Eu e por vezes obriga-nos a caminhadas dolorosas e difíceis, pois os EUS tendem a confundir-nos. Por vezes, quando pensamos que já o encontramos, damos conta que afinal, aquele ainda não é a nossa essência, o espelho da nossa alma...então, voltamos ao princípio para vermos onde cruzámos os caminhos, e temos mesmo que iniciar outra caminhada!!! O bom, é que aprendemos sempre muito e ficamos com a certeza de que o que estamos a fazer é correcto. O que ficou para trás, não devemos esquecer, devemos sublimar, ou seja, retirar o "sumo" para a nossa aprendizagem
e deitar fora as cascas!

Quanto ao Douro, vou enviar-te alguns links para tu consolares as vistinhas!!!

Beijinhos cheios de Pózinho.

Maria José disse...

Rufina. Lindo texto. Quanta sensibilidade nestas palavras... Parabéns. Beijos, amiga.