segunda-feira, 30 de março de 2009

Amar


Quando me amei de verdade, pude compreender que em qualquer circunstância, eu estava no lugar certo, na hora certa. Então pude relaxar.
Pude perceber que o sofrimento emocional é um sinal de que estou indo contra a minha verdade.
Parei de desejar que a minha vida fosse diferente. Comecei a ver que tudo o que acontece, de alguma forma, contribui para o meu crescimento e me dá forças para mudar o rumo das coisas se eu quiser.
Comecei a perceber como é ofensivo tentar forçar alguma coisa ou alguém que ainda não está preparado - inclusive eu mesma.
Comecei a me livrar de tudo que não fosse saudável. Isso quer dizer: pessoas, tarefas, crenças, vícios e qualquer coisa que me colocasse pra baixo.
Minha razão chamou isso de egoísmo. Mas hoje eu sei que é amor-próprio.
Deixei de temer meu tempo livre e desisti de fazer planos.
Hoje faço o que EU acho certo e no meu próprio ritmo. Como isso é bom!
Desisti de querer ter sempre razão. Com isso errei muito menos.
Desisti de reviver o passado e de me preocupar com o futuro. Isso me mantém no presente, que é onde a vida acontece.
Percebi que a minha mente pode me atormentar e me decepcionar. Mas quando eu a coloco a serviço do meu coração, ela se torna uma grande e valiosa aliada."


(texto de Kim McMillen & Alison McMillen)

2 comentários:

Eliane Santoro da Costa disse...

Linda postagem!
Isso mesmo amiga é esse o melhor caminho.Pena que às vezes esquecemos disso.

Beijins de luz!

INTIMO E PESSOAL disse...

Adorei esse texto, é um daqueles que precisamos ler e reler todos os dias para que não nos esqueçamos.

Bjs
Adriana